Biografia

14 de abril de 2016

ana_bio

Ana nasceu em Presidente Prudente, interior de São Paulo, em 1958, numa família de músicos. Logo no início já dava pra perceber que a garota ia longe. Aos 13 anos de idade já gravava jingles e ganhou vários prêmios interpretando composições próprias nos festivais.

Sempre exigindo mais de si, não se conformou somente com o dom que Deus lhe deu e foi cursar composição e regência na Unicamp, casando assim talento e técnica. Por volta de 1982 começou sua trajetória profissional. Ana Caram tocava e cantava em casas noturnas paulistanas e passou a viajar pelo mundo levando o que havia de melhor da Música Popular Brasileira para países como Japão, Estado Unidos e também em vários lugares da Europa e África. Também passou uma temporada no Rio de Janeiro apresentando-se no Mistura Fina e Jazzmania, gravando seu primeiro disco editado pela gravadora CID em 1987.

Em 1988 surgiu um convite do saxofonista Paquito D’Rivera para participar do Festival na Finlândia Sea Jazz e também JVC Jazz Festival realizado no Carnegie Hall, em Nova York. Ana Caram foi imediatamente reconhecida pela crítica do New York Times, citando-a como um dos pontos altos da noite, o que lhe rendeu um contrato para gravar cinco CDs com a Chesky Records em Nova York. Seu primeiro álbum com o título Rio After Dark contou com a participação de Tom Jobim e Paquito D’Rivera. Lançado em1989, Rio After Dark, foi indicado como Disco do Ano, no Japão. Este álbum trouxe canções de Tom Jobim, Djavan, Ivan Lins e da própria Ana.

Em 1990 lançou o álbum Amazônia com composições próprias e também de Djavan e Ivan Lins. Em 1992, Ana gravou The Other Side of Jobim, com direção musical de Sergio Assad, do consagrado Duo Assad.

O quarto álbum recebeu o título de Maracanã, e foi produzido por Nelson Motta, em 1993.

Em 1995 foi gravado e lançado seu último trabalho pela gravadora Chesky Records, o álbum recebeu o nome de Bossa Nova.

Todos os trabalhos realizados receberam excelentes críticas dos maiores jornais e revistas do mundo do jazz, tais como, Dow Beat, Billboard, Jazz Times, Stereophile, entre outras.

O quinto álbum, Sunflower Time, com selo da gravadora Poligram japonesa foi gravado em São Paulo e em Londres. O CD é um pop-jazz bem elaborado onde Ana resgata temas de uma forma´8unica inovadora com sua voz, swing e arranjos assinados por Bluey Maunick Lícer, da banda inglesa Jazz-Funk Incógnito.

Uma de suas músicas, Água de Beber, foi cantada com a Banda Incógnito em seu CD Red Hot Rio, onde participam grandes nomes como George Michel, Astrud Gilberto, Cesária Évora, Caetano Veloso, Sting, Tom Jobim, David Byrne, Marisa Monte entre outros. Este álbum foi lançado para angariar fundos em uma campanha da AIDS no mundo.

Com o CD Sunflower Time, Ana Caram é uma artista brasileira que mais vendeu discos no Japão. Sua voz além de ser trabalhada, swinga com sensualidade e emoção. Sem dúvida, uma artista com talento nato.